sábado, 19 de maio de 2007

PENUMBRA... (versos quebrados)



Vislumbro tua imagem na penumbra
Acesa como um círio, pela luz da lua...
Vertidas juras tivemos pouco antes
Em que disseste a mim "quero ser tua"!

E ao olhar-te agora, qual etéreo anjo,
Na penumbra do quarto, frente à janela,
Saciados todos os nossos desejos,
Iluminada pela lua, como estás tão bela!

Alheia a tudo, te delicia a madrugada,
Te envolve a brisa, que sopra com carinho
Enciumado, pressinto que de mim não lembras,
Te entregas à aurora, me deixas tão sozinho...

Me levanto do leito e vou ao teu encontro,
Reacender a centelha num abraço quente....
Num frêmito entregas tua boca à minha,

Ferve meu sangue, tu me deixas tonto...
Delírio e fogo, e num grito latente,
A penumbra nos cobre... e o dia se avizinha...


* MÍRIAN WARTTUSH *

Um comentário:

Lenise disse...

Miriam!!

Esta poesia é belíssima!
E teu blog está maravilhoso! Não só teus escritos são lindos como as imagens estão ótimas, a formatação é perfeita, tudo está demais!
Beijão querida!