segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Devagar desliza...devagar...


No quarto semi-obscuro,
Com o olhar te procuro...
Estás tão linda a repousar,
Teu alvo corpo, banhado de luar...
Dormes, alheia e pura,
Sem saber que te procura, o meu olhar...
Que a te adorar, se imobiliza...
Devagar desliza... devagar...
A sono solto,
Tens o corpo envolto
Em rendado baby-doll.
E no colo, ainda,
Tens a cor infinda do calor do sol.
Descansa no travesseiro,
Um rosto calmo e faceiro.
E com encanto tamanho,
Sedoso e belo teu cabelo castanho.
Mas, acordar-te, receio...
Fico do quarto ao meio,
Fitando teu belo seio,
Que leve... leve a arfar,
Ora se esconde,
Ora se banha de luar...
Deito ao teu lado e reflito...
- Mas não durmo, estou aflito...
De cá para lá, me agito
–Adivinhas meu desejo,
Acordas... e com um beijo,
Me dizes tão docemente:
Estiveste muito tempo ausente
................................................
O primeiro albor de sol,
Ilumina o baby-doll,
Abandonado no chão...
E se derrama sobre ti
Que dormindo, ainda sorri,
Estreita ao meu coração!


♦ Mírian Warttusch

Imagens: Google


Um comentário:

carmem disse...

Nossa,q belo,maravilhoso poema,encanta a alma d quem tem felicidade de ler...
Vc é magnífica krida poetisa..
bjinhos no coraçao